Capitão do tri, Carlos Alberto Torres morre aos 72 anos.

Um dos maiores jogadores da história do futebol mundial, Carlos Alberto Torres faleceu nesta terça-feira, vítima de um infarto fulminante no Rio de Janeiro. O ex-lateral-direito trabalhava como comentarista do canal Sportv, onde fez sua última aparição na TV no domingo. Seu velório acontecerá na sede da CBF, no Rio de Janeiro.Nascido em 17 de julho de 1944, no Rio de Janeiro (RJ), Carlos Alberto Torres atuou por Fluminense, Botafogo, Santos, Flamengo e New York Cosmos.O lateral-direito era o capitão da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1970, que encantou o mundo com Pelé, Tostão, Rivellino e cia, conquistando o tricampeonato, no México, ao vencer a Itália por 4 a 1 na grande final.

 

Ele também tentou a carreira como treinador, iniciada em 1983 e terminada em 2005, passando por clubes como Corinthians, Flamengo,  Fluminense, Botafogo, Paysandu e Atlético Mineiro. O último time que comandou foi o “Papão”, em 2005.Como jogador, Carlos Alberto conquistou três títulos Cariocas pelo Fluminense, dois Brasileiros, um Rio-São Paulo e cinco Paulistas pelo Santos. Como técnico, ele ganhou o Brasileiro de 1983 pelo Flamengo, o Carioca de 1984 pelo Fluminense e a Copa Conmebol de 1993 no comando do Botafogo.

Clube que o ex-defensor atuou entre 1977 e 1980, o New York Cosmos lamentou sua morte. “Nós estamos profundamente triste pela perda de Carlos Alberto, um jogador lendário e uma pessoa linda. Ele sempre será parte da família Cosmos”, escreveu o time com uma foto do Capita no Twitter.Capitão do pentacampeonato mundial da seleção, Cafu também se despediu de Carlos Alberto Torres: “Hoje se foi a lenda do Futebol mundial, meu amigo, o inesquecível, o Grande Capita. Meus sentimentos e respeito à família”.A Confederação Brasileira de Futebol também divulgou nota em que o presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, declara luto oficial de três dias. Assim, as bandeiras da sede da entidade estão a meio-mastro e todas as partidas das competições organizadas pela CBF terão 1 minuto de silêncio.

 

 Fonte ESPN