Câmara muda dez medidas e aprova punição subjetiva ao MPE e Judiciário. Só Mandetta votou contra.

Campo Grande(MS) – Na madrugada, e quarta feira(30/11), os  deputados incluíram no pacote de medidas contra a corrupção proposto pelo Ministério Público,  uma emenda que propõe punir o abuso de autoridade praticado por juízes e membros do Ministério Público (MP), sob o argumento de que não se pode admitir “privilégios a ninguém”. Em votação nominal, a emenda ao pacote anticorrupção foi aprovada na Câmara por 313 votos a favor, 132 contrários e cinco abstenções. Para o  procurador da república e diretor da Associação Nacional  dos Procuradores, Alan Mansur a decisão mudou para pior, e as 10 medidas foram distorcidas para favorecer outros ilícitos e criminaliza e  discrimina  conduta do Ministério Publico e Judiciário.

A exemplo do que aconteceu na Itália, depois de ampla ação contra a corrupção, os parlamentares optarem pelo retrocesso, para retaliar o MPE e o Judiciário. Alan Mansur,espera que o senado avalie melhor a decisão dos 313 deputados.

A opinião do procurador  da república e diretor da Associação Nacional  dos Procuradores, Alan Mansur, foram feitas a Radio CBN. Dos deputados Federais do Mato Grosso do Sul, somente Luís Henrique Mandetta votou pela não aprovação da medida e acompanhou, 132 parlamentares. Já os deputados Marum. Dagoberto, Zeca , Vander, Tereza Cristina e Geraldo Rezende aprovaram a modificação do projeto. O nome de Elizeu Dionisio não apareceu na sessão de quarta feira.

 

 

Da redação

Foto Diulgação.