OUÇA: Políticos denunciados em campanha eleitoral podem perder seus mandatos, mesmo depois da posse.

Campo Grande(MS) – Até dezembro do ano passado  a justiça eleitoral investigava 10 dos 79  prefeitos eleitos em Outubro.  Dois deles  chegaram a perder  o registro de candidatura: Ilda Machado (PR), de Fátima do Sul e Robinho Samara Almeida (PSB), de Aparecida do Taboado.  Ilda Machado, prefeita eleita em Fátima do Sul com 6.882 votos, total de 51,67% do total dos válidos, que teve o diploma cassado pela justiça eleitoral por compra de votos, tomou posse em primeiro de janeiro  e Segundo informações da assessoria do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) enquanto o processo corre, o rito continua e Ilda continua no poder.  É  terceira vez que Ilda assume o comando da Prefeitura de Fátima do Sul, ela que é esposa do ex-deputado estadual Londres Machado, que disputou as eleições de 2014 como candidato á vice-governador na chapa derrotada que tinha como candidato a governador o Senador cassado na operação lava jato Delcídio do Amaral. De família de políticos, Ilda é mãe da Deputada Estadual Grazielle Machado(PR). A juíza eleitoral Rosângela Alves de Lima Fávero que cassou a expedição do diploma da prefeita eleita, por compra de votos, além de aplicar uma multa de 10 mil Ufirs e deixa-la inelegível por oito anos. A magistrada da 4ª zona eleitoral considerou um vídeo onde aparece a então candidata entregando R$ 700 a um eleitor em troca de três votos uma prova robusta.

 

O  presidente da Ordem dos advogados do Brasil seccional Mato Grosso do Sul, Mansur Kamuche lembra que a denuncia foi feita pela entidade. Karmuche lembra que a peça denunciatória é feita pelo ministério Público e alerta.O presidente da OAB Mansur Karmuche orienta a comunidade a denunciar irregularidades principalmente dos gestores públicos. Ouça a reportagem da Rádiowebms.

 

João Flores Junior

Foto Divulgação.