Somente um crime eleitoral foi registrado durante o 2º turno.

Campo Grande(MS) – Mulher de 55 anos foi detida na tarde de domingo na  Escola  Arlene Marques, no Jardim Canguru, em Campo Grande. Guardas municipais gravaram a mulher fazendo boca de urna e ela foi levada para a Superintendência da Polícia Federal (PF). Denúncia anônima levou os guardas para a unidade de ensino, na Rua Catiguá. As informações relatadas à Guarda Municipal eram de que a mulher gritava “45”, número da candidata Rose Modesto (PSDB), e logo depois entrava na escola municipal. Na primeira abordagem, ela negou a boca de urna e disse que estaria ali para vender salgados.

Chegou a relatar que estaria trabalhando com uma outra vendedora. Os guardas checaram com a pessoa que tinha a banca de salgados que  negou conhecer a mulher. Para fazer o flagrante, os guardas dispersaram e aguardaram a mulher começar a gritar na frente da escola. Fiscais que atuam no local também confirmaram a boca de urna. Ela foi levada para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Piratininga, mas o delegado de plantão da Polícia Civil encaminhou a ocorrência para a PF. Duas filhas da pessoa detida foram até a superintendência para conversarem com o delegado, uma delas, inclusive, está trabalhando de mesária. E as 15h20, a mulher foi liberada e não quis falar com a imprensa. Foi registrado termo circunstanciado de boca de urna, segundo a assessoria de imprensa da Polícia Federal.

 

 João Flores junior