OUÇA: Delegado orienta ao pais e verificar sinais de filho para evitar violência Sexual.

Campo Grande(MS) – A delegacia  de proteção da Infância e Juventude já tem como finalizada a investigação sobre o caso Kauan  Andrade Soares dos Santos, que morreu depois de ter sido estuprado no Coophavilla II. Para o   juiz Mauro Nering Karloh os  quatro adolescentes foram obrigados a violentar sexualmente Kauan depois de ele ter sido morto asfixiado. Os jovens tinham ido à casa do professor suspeito de estuprar, matar e esquartejar Kauan para tentar obter dinheiro. O  pagava por favores sexuais a menores de idade. E que os  adolescentes que cometeram a infração também eram violentados pelo professor.

Outra investigação da DPCA  é sobre um professor de teatro de 55 anos, suspeito de ter estuprado garoto de 12 anos. Ele  confessou o crime e participou de audiência de custódia e a prisão dele, que até então era temporária, foi convertida em preventiva. Com isso, ele ficará no presídio até ser julgado. A policia  aguarda resultado do exame de corpo de delito feito na vítima e também laudo da perícia feita no celular e computador do professor para concluir as investigações. O inquérito deve ser encerrado em 10 dias. O crime foi descoberto depois que a mãe do Garoto, viu pelo Whatshapp  mensagens sexuais do professor para o filho  e fez denuncia a Policia. O delegado alerta que os pais devem prestar atenção no comportamento de seus filhos e acreditar neles.

João Flores Junior

Foto Thays Schineider.