Ouça. Pais devem orientar filhos a se protegeram na rede mundial de computadores

Campo Grande(MS) –  Um alerta ganha atenção especial no Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, no último dia 18 de maio. O Brasil bateu recorde de denúncias sobre a veiculação de imagens de abuso sexual infantil na internet, no ano passado. De acordo com a organização não governamental SaferNet, que tem como missão defender os direitos humanos na Internet, foram contabilizadas quase 72 mil denúncias desse tipo de crime, superando a marca histórica de 2008, quando foram registrados mais 56 mil.

A psicóloga e coordenadora da SaferNet Brasil, Bianca Orrico, associou o aumento dessas denúncias a três fatores: a introdução da Inteligência Artificial, que vem se desenvolvendo de forma muito rápida; a proliferação da venda de pacotes digitais com imagens de nudez e sexo autogeradas para adolescentes; e as demissões em massa anunciadas pelas bigtechs, as gigantes da internet, que atingiram as equipes de segurança, integridade e moderação de conteúdo de algumas plataformas. Para proteger as crianças e adolescentes dos aliciadores online, que ficam de olho nas plataformas mais acessadas, como jogos e redes sociais, a psicóloga destaca a importância do diálogo dos pais com seus filhos.

Já o advogado Pedro Mendes, do Instituto Alana, que promove ações em prol das crianças, foi mais além. Ele defende uma vigilância compartilhada entre os pais, as plataformas de internet, que devem se autorregular, e a sociedade para evitar a violência virtual. Para ele, os dados de uma pesquisa feita em 2023 pelo Instituto Alana, mostram que 88% das crianças de 9 a 17 anos possuem perfis em redes sociais na internet, em ambientes expostos a riscos.

Além da Constituição Federal, que protege os direitos dos nossos pequenos brasileiros, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), define, em um de seus artigos, medidas de proteção da imagem, da integridade física, psíquica e moral, inclusive no ambiente digital.Com informações da Rádio Agência Nacional

Da redação

foto Ilustrativa